Novas oportunidades...

Querido Diário. Hoje estou muito feliz depois do curso de oratória resolvi fazer um de locução de rádio. Tenho muitas dúvidas, quase estou terminando minha faculdade e nao sei se quero lecionar. Quando entrei na sala de aula me senti frustrado, quiz fazer tanta coisa que nao consegui. Mas voltando ao curso de oratória me senti valorizado, estou me sentindo único, as pessoas que convivem comigo dizem que meus olhos hj estão brilhando. Diante desse curso básico de oratória com um professor fantástico que levanta a autoestima as alturas, resolvi arriscar mais um pouco e vou fazero curso de Locução. Sempre tive o sonho de trabalhar com comunicação, quem sabe agora seja a hora, quem sabe agora estou encontrando o caminho. Trago em breve mais notícias...

Escrito por Garoto às 17:36
[ ] [ ]

A Arte de Falar

    Dia desses resolvi fazer um curso de oratória. Percebi como foi bom para eu, como abriu novos horizontes. Demonstrou que é muito fácil falar de uma maneira que todos entendam basta queremos.
    Um dos fatores que mais me chamou a atenção foi o simples fato de ouvirmos o que falamos. O nosso professor pegou uma câmera, destas digitais mesmo, e gravou como nos expressamos e depois repassou para que todos vissem e ouvissem no “data show” , a atividade foi fantástica, nunca havia percebido como era minha voz, o pior foi que em primeiro momento ela soou estranha, depois fui me acostumando.
    Também é memorável lembrar de como começamos a nos desinibir contando uma história na frente de todos. Eu contei a História do “Grande massacre dos gatos”, ou melhor, tive como embasamento neste livro de Darnton, em que relata sobre a malandragem de trabalhadores que procuravam dormir e não conseguiam porque os gatos miavam. Valeu muito a pena!

Escrito por Garoto às 10:36
[ ] [ ]

O Carnaval...

"Mais profunda parece aqui a solidão, e mais pavorosa, do que na imensidade dos mares." (José de Alencar. O Gaúcho. São Paulo: Rideel, 1997)

Solidão é uma das palavras mais tristes da língua portuguesa. Pois bem, e é assim que me senti em muitos momentos de minha vida. Durante o Carnaval geralmente eu nao o "pulava", apenas esperava ele passar. A única coisa que gostava de fazer nesta época foi assistir os desfiles pela televisão. Lembro-me de na inocência ou não de ficar a madrugada assistindo mulheres, carros e imagens coloridas durante quatro noites, na maioria das vezes acabava dormindo no sofá.

Não é que não seja "inteligente", mas dava a impressão que a sexualidade falava mais alto. Lembro-me também que além do Carnaval outra maneira de ficar acordado nas madrugadas era assistir uma famosa sessão de filmes que exibia filmes eróticos. Geralmente nas madrugadas de sabado para domingo eu gostava de ver-los...

Escrito por Garoto às 09:54
[ ] [ ]

O Tênis de Mesa...

"Fechada a porta da Casa Verde, entregou-se ao estudo e à cura de si mesmo"(Machado de Assis. O Alienista. Porto Alegre, Mercado Aberto: 2002.p. 115)

O Tênis de Mesa foi uma das minhas grandes paixões. De certa forma sempre procuramos algo que nos de autoestima, que aumente o nosso "ego". Lembro-me de um tempo em que jogava uma espécie de Tênis de mesa, ou como chamavamos aqui de ping-pong, uma festa aqui em casa. Reuniamos em uns quatro ou cinco amigos e faziamos "filinha"ao redor de uma mesa de "compenssado".

A mesa improvisava que dava o charme da nossa brncadeira. Eu não ganhava sempre, perdia na maioria das vezes mas o que valia para nos alegrar era a forma em que tudo ocorria: num clima de diversão e de conversa jogada fora. Hoje alguns anos após encontrei um dos meus amigos de jogo de "pingpong", de quicar a bola. O pior de tudo que meu ex- vizinho nem me conheceu, ele estava mais gordo, com uma cara de sério, provavelmente deveria estar com algum aborrecimento, exitei em dizer quem eu era. Depois de um tempo ele foi embora, foi apenas um pequeno encontro em um posto de combustivel.

O que vale é o que ficou na lembrança, não tenho a intimidade que tinha. Mas lembro-me com saudades das aventuras do nosso querido jogo que alegrou por muito tempo nossas tardes.

Escrito por Garoto às 13:45
[ ] [ ]

Dica de Blog

Com grande júbilo que agradeço ao meu amigo Michel do Blog "The Vibe Orange" pela publicação do Texto "O castelo" também publicado neste blog. O "The vibe Orange" mostra de tudo um pouco, textos curiosos, imagens, notícias. O que de bom ocoore na Terra da vibração Laranja, a melhor energia. Vale a pena conferir como dica de blog: http://www.vibeorange.blogspot.com/.

Escrito por Garoto às 13:11
[ ] [ ]

Quem é o Biel?

O Biel é uma fuga, uma forma de relatar os meus desejos mais íntimos, minhas verdades Históricas. Ao concebermos que na História não existe verdades prontas, os blogs  tem um papel fundamental em mostrar os vários olhares sobre um mesmo Fato. O blog em evidência tem como objetivo relatar as minhas aventuras não tal como ocorreram, mas como gostaria de lembrá-las.
O Gabriel e os vários personagens destas mini-crônicas são levemente inspirado no Kevin e no seriado “Anos incríveis” não mais exibido no Brasil, porém que marcaram profundamente a infância de tantas pessoas que ainda lembram do dilema de ser criança, pré- adolescente e adolescente.
Essa frase parece um tanto obvia: a narração do personagem adulto dava um ar mais natural ao seriado.  E o meu garoto também cresce como qualquer criança, com novas aventuras, desejos e amores. O garoto aventura em 2012 está mais pessoal...

Escrito por Garoto às 22:38
[ ] [ ]

Feliz 2012

O Garoto Aventura deseja muitas Felicidades no ano de 2012

Nos vemos Por aqui!

Escrito por Garoto às 23:51
[ ] [ ]

Expectativas...

"[...]  Há animais que com um ano observam mais e alcançam aquilo que é bom para eles de maneira mais prudente do que jamais alguma criança poderia fazer com dez anos." (HOBBES, Thomas. O Leviatã. 2001)

Quando se é criança sempre se tem saudades da Escola. Todo começo de ano é mais uma aventura, uma espera para uma série melhor, espera-se aprender mais e mais... quando se cresce as coisas mudam. Ao fazer faculdade deparei-me com uma certa indisposição quando se começa as aulas. Acredita-se que cada ano será pior: a quantidade de leitura provavelmente dobrará, e as dificuldades juntamente com a tortura dos professores aumenta.

Lembro-me do meu primeiro dia de aula. Aula em uma universidade, aí sim era a expectativa que tomava conta. Quem sabe por ser uma aventura nova, ou a emoção de pretender ter uma carreira. E tudo que envolve os mistérios da faculdade. O primeiro dia foi típico, sempre com as boas vindas da direção, dos colegas e dos veteranos. Essas davam medos, porém foi apenas uma simples apresentação em que diziamos nome, idade e estado civil. O Estado civil era melhor que qualquer coisa, todos queriam se arranjar. Como diria o ditado " Sempre tem um chinelo velho para um pé cansado".

E o ano se seguiu dessa maneira com novas aventuras, desejos e concerteza amores... que é um novo post.

Escrito por Garoto às 17:30
[ ] [ ]

A Fé...

"Por mais irracional que parecesse, Mack não conseguia deixar de pensar que talvez o bilhete viesse de Deus” (YOUNG, William P.  A Cabana. 2008)

Dizem que todo mundo é sacro por natureza. Nem que seja no final de semana com o churrasco e com o time de Futebol, isso que torna nossa vida especial. Quando se é criança geralmente temos a religião de nossos pais, quando se cresce percebe-se que não é bem assim, as dúvidas começam a "jorrar" em nossas mentes. As coisas boas acontecem e a atribuimos a Deus, as coisas ruins acontecem e temos receio dele, ou melhor ainda , pensamos que ele não exista. Esses são os mistérios da vida.

Lembro-me de uma Igreja bem diferente das outras, uma igreja redonda bem no interior do interior de uma cidade distante. Essa era a que eu frequentava, lá cantava, rezava e principalmente encontrava com o meu Deus. Um certo dia nessa mesma Igreja fui em um casamento e como se expressão as pessoas daqui: "sempre a noiva é linda, o bebê é bonito e o defunto é uma boa pessoa. A noiva mesmo diferente do padrão estipulado que é a magreza absoluta, estava "exuberante", os seus quilhinhos a mais davam um charme especial. O noivo esse sim era o padrão: terno e gravata. As madrinhas de vestidos vermelhos cuidadosos para não ofuscar a beleza da noiva.

Diante dos fatos, lembro-me com saudade, com admiração com desejos e com vontades...

Escrito por Garoto às 11:07
[ ] [ ]

Meu querido, meu professor, meu amigo?

“(...) Em qualquer cidade ou vila, eis que se erguem prédios para escolas, eis que uma estrada rasga uma mata e corta uma campina... Aqui está a maior preocupação de nosso grande Governo-: estradas e escolas.” (OLIVEIRA, Rodrigues de. Estradas e Escolas. Folha do Oeste. 26/02/1950.


     Meu querido, meu professor, meu amigo era o nome de uma poesia que apresentava no dia 18 de outubro dia do professor. O olhar cansado, e profundo que em muitos momentos não tem nenhuma obrigação para com outras pessoas, mas mesmo assim nos ajudava.   

     O sol estava em seu auge quando comecei a ler durante uma comemoração do dia dos professores, dava pra perceber nos olhos de todos que aquilo comovia, de alguma maneira chamava a atenção.

    De alguma maneira aquilo também mexia comigo, fazia repensar tudo que já tinha feito em meu meio escolar, tudo que de alguma maneira tinha feito parte dos meus anos estudantis. As músicas continuavam e minha apresentação tinha chegado ao fim. Depois de apenas cinco minutos a festa continuava com a certeza que tinha feito, e muito bem feito o meu dever.

Escrito por Garoto às 12:16
[ ] [ ]

Rua da saudade

"Os Funerais eram pomposos, e para isso contribuia o número de participantes no cortejo, de padres, confrades, pobres, músicos, parentes, amigos e estranhos" (REIS, João José. A morte é uma festa:ritos fúnebres e revolta popular no Brasil do século XIX. 1991. p.23) 

     O meu garoto aventura é uma forma de extravasar os meus medos, angústias, tristezas. Uma forma de exorcizar tudo que de alguma maneira tenho a vontade de “jogar” pra fora. A saudade é a pior coisa que se pode ter na vida.
    Era quatro horas da tarde quando recebi o telefonema me apontando que um ente querido tinha morrido. Lembro de ter falado com ele a três dias atrás que não imaginávamos que os dias seriam curtos e o inevitável iria acontecer. Convivemos durante 11 meses diariamente, nunca pensei que essa pessoa iria fazer tanto falta em minha vida.
    Quem sabe se não há tivesse visto teria sido diferente, seria mais uma pessoa durante minha viagem de trem pela vida. Porém a noticia de sua morte me comoveu, não tinha nenhum vinculo efetivo, mas lembro de novas alegrias, tristezas e principalmente discussões teóricas sobre resumos e artigos.
    O velório foi mais triste ainda, durante quase duas horas vinha um mundo dentro de minha cabeça, vinha inúmeros momentos, momentos que não voltariam a acontecer. Ficaram guardadas muitas lembranças naquela rua que se chama Saudade. Aquela mesmo que fica ao lado do cemitério. Poderia ter seu nome trocado para rua da esperança, do desespero ou finalmente pelo nome de morte.

Escrito por Garoto às 10:51
[ ] [ ]

Ida e Volta

Acredito que de alguma forma todos nós temos dúvidas e as dúvidas que movem nossos caminhos. Diante de minhas recordações, entre erros gramáticas, lembro de um lugar que parecia como todos os outros. Que marcou minha juventude. Por incrível que pareça não é minha casa, mas a minha segunda casa.

Em um determinado momento de minha vida me senti sufocado e foi necessário sair em busca de novos sonhos, de novos desenhos. E de novas condições de existência. Com muitas confusões queria ser valorizado, queria mostrar que poderia ser o que eu quisesse ser.

Na odisséia de lembranças ainda me recordo de como tudo começou. Como se fez a mudança. Os dias eram curtos, havia muita correria os poucos momentos a que restava eram pra estudar. O fardo a cada dia tornava-se mais pesado. E na ilusão de um grande amor, tentava-me sentir confortado.

O fim desta História ficou muito conhecida. Ao voltar para o “mundo real”, na minha ingenuidade de não saber distinguir o que era bom ou ruim. Foi várias vezes questionado se era mesmo isso que queria. E depois de muito refletir resolvi voltar. Voltei para os que sempre disseram que me amavam. Quando se é grande, sentimos um grande desejo de ser pequeno de volta. Precisamos do aconchego das pessoas que fazem diferença em nossa vida. As marcas da infância ficam aprisionadas dentro do nosso coração.

Em meio a erros gramaticais chego ao fim deste com mais perguntas que antes que o comecei. Tenho a certeza que busco e buscarei como uma forma de seguir sempre à frente.

 

Escrito por Garoto às 21:59
[ ] [ ]

A Chácara

O primeiro dia do ano é especial da Família Silva. Como toda grande família desse Brasil: nossos personagens se reúnem junto da matriarca bisavó de Biel, dona Lurdinha. Para o aventureiro não é o melhor dos dias. Porém é um dos mais interessantes. Gabriel sente-se frustrado longe do movimento de sua cidade, o interior para ele é entediante, ou melhor, o começo do dia é... e depois tudo melhora porque lá se encontram primos, tios e todos os tipos de parentes.

A seleção de convidados é nula, ou seja, quase todos se encontram nesse primeiro dia do ano. Isso é importante pois parece que a família Silva é bem distante se encontra apenas esse dia. A maior festa ocorre e junto dela o tradicional churrasco, aquele feito no sul com bastante sal.

As comemorações do dia anterior para as bênçãos de um novo ano também se fazem presente. O ritual de comer uvas e beber espumante é acompanhado por um belo almoço ao ar livre. As discussões se fazem presente em um tom mais leve por acreditarem que tudo que se faz no primeiro dia do ano se propaga para todo ele.  As Histórias continuam...

Escrito por Garoto às 22:18
[ ] [ ]

O Ano Novo de Biel!

Todo ano era a mesma coisa  começava-se as festas no dia 25 e se arrastavam até o inicio do novo que se aproximava. Para nosso herói isso era bom se não fosse o fato de sua avó ter morrido no dia 30 de dezembro.

O Natal tinha sido a maior Festa. Pena que Dona Leonora ( mãe de Gabriel) não prepara ceia de Natal apenas de ano novo.  Os Souzas apenas comemoram o dia 25, não são tradicionais. E muito menos esperam o papai Noel porque há muito tempo as crianças sabem que não existe. Receberam antes o presente de Natal. E presente que vale pra aniversário no mês seguinte.

O aventureiro sempre se lembrara do dia em que vovó Rosa faleceu. Era um dia chuvoso e o velório foi na casa em que morara muito tempo. Os primeiros dias do novo ano eram nostálgicos, se nosso garoto soubesse o que era isso, então para simplificar: era um misto de alegria e de tristeza. Alegria pelas expectativas de um novo ano, que deveria ser melhor que o anterior. E Tristeza porque lembrava sua falecida avó e tinha medo que os seus entes queridos seguissem o mesmo caminho.

Tudo isso é o que ocorre no Ano Novo de nosso garoto, garoto cheio de esperanças e de angustias que vive atrás de novas aventuras. E com uma grande certeza que viverá em 2011 muitas... Porém aí é uma nova História que começa no Ano que vem até lá...

Escrito por Garoto às 18:58
[ ] [ ]

FELIZ NATAL E ANO NOVO

Ops... Um ótimo Natal e um Próspero Ano novo. E um ótimo 2011 com As Novas Aventuras do Biel... E se você quiser colaborar com o meu humilde Blog deixa um comentario com o e-mail que entro em contato, to precisando de colaboradores. Abraços...

Escrito por Garoto às 12:40
[ ] [ ]

O castelo

Agradecimentos especiais ao blog  Cascudeando  que faz parte dos indicados e também nos indica hehe

 

Duvidas, angustias e depressões quem nunca passou por elas? Na casa do Biel a televisão tinha um papel muito importante, principalmente

quando seu pai Adir não pedia para abaixar o volume. As grandes aventuras de um menino bruxo de 300 anos e seus amigos mortais dentro de um grande castelo eram o passatempo de Gabriel e seus irmãos. Para quem não se lembra nosso

garoto aventura possuía um irmão e uma irmã mais velhos que este. Sendo chamados respectivamente de Jhon e Kleten.

As aventuras do garoto do castelo como também foi conhecido um dos mais magníficos seriados infantis criado pela televisão brasileira tratava de vários assuntos de carater educativo. A importância do Banho com um ratinho pra lá de especial, o conhecimento de sons de instrumentos com uns passarinhos e até tinha uma cobra com muito veneno, além de um marciano e uma “Patty” cor-de-rosa

Gabriel se identificava de alguma maneira com os personagens quem sabe fosse o personagem mais novo do seriado ou o mais bagunceiro, ou ainda não fosse nenhum deles, Porém tivera a sensação que todas aquelas histórias mirabolantes também haviam acontecidos com ele de alguma maneira ou pelo menos sonhado com aquilo algum dia de seus poucos anos de existência.

O castelo era apenas um dos programas favoritos do Biel. Havia outros: um garoto que fazia contato com o mundo da Lua. Um “X” que falava com uma cara, um garoto que morava no campo e conversava com animais, ou ainda um garoto que vivia na sua pré-adolescente anos inacreditáveis. Eram várias as aventuras que nosso herói vivia todas as tardes na frente da televisão na sua casa.

 

Escrito por Garoto às 22:18
[ ] [ ]

E quando eu estiver triste:

 

Viver é crescer. E a cada nova idade as responsabilidades aumentam. Para nosso protagonista não foi diferente. Quando se é grande, sente-se um grande desejo de ser pequeno de volta. As marcas da infância ficam aprisionadas dentro do nosso coração. As grandes aventuras que pensamos que darão impulso para animar-mos ocorrem o inverso e ficamos tristes sem motivo aparente.

Gabriel havia conhecido a internet e junto dela um novo mundo se abria, um mundo de sonhos e de ilusões. O primeiro contato foi a base de “manivela” no ano de 1999 não havia muitas conexões banda-larga. Ou melhor, apenas para a grande elite e como nosso herói era de uma família de classe média baixa, se esse termo ainda exista, ele não possuía condições para adquirir uma tal de ultima geração. O computador também era partilhado com um cronometro entre ele, seu irmão e sua irmã.

Biel resolvera criar um e-mail e para isso que nem ele sabia pronunciar direito convocou sua irmã para auxiliá-lo. Para os que não lembram Gabriel era amiguíssimo de sua irmã Ketlen, não diga-se o mesmo de seu irmão Jhon, o qual brigavam todos os dias e por todas as coisas. Quem sabe as idéias não “batessem”, ou suas visões de mundo fossem totalmente diferentes. Isso se concretizará muitos anos mais tarde.

A partir desse primeiro contato com o aparelho, que Biel não tinha tanta desenvoltura. Mesmo um ano antes ter terminado seu curso de informática numa renomada escola. Curso que julgava insignificante, porém que lhe abriu muitas portas em sua vida.

O aventureiro apesar da conexão lenta conheceu muitos lugares dentro de sua própria casa. Conversou com mundos imaginários, conheceu coisas boas e más. A obscuridade começou a fazer parte de sua vida também. Porém aí é uma nova história que será contada em breve.

 

Escrito por Garoto às 20:48
[ ] [ ]

A copa do mundo não é nossa!

Citar Copa de Futebol em que todo o país participa é mostrar a alegria.  Porém a de 1998 foi confusa para nosso garoto. Gabriel queria saber porque o Brasil perdeu na final e não foi penta campeão de futebol. Essa pergunta foi uma incógnita.  Nosso protagonista poderia não saber o que está palavra significava, mas tinha o mesmo sentido.

A família inteira estava reunida: Dona Leonora, Seu Adir, Jhon e Ketlin, alguns amigos também se faziam presente e uma bela e generosa travessa de pipoca para acompanha a final. Era Brasil versus França, parecia que tudo estava ganho. A não ser pelo fato de a melhor seleção do mundo perder.

Gabriel recorda em cada nova copa do mundo essa copa. Dona Leonora havia comprado bonés pra comemorar a vitória que não ocorreu. Os bonés que já davam o Brasil Pentacampeão ficaram esquecidos. E o pior foi o outro dia na escola. Não apenas Biel que estava triste o Colégio de Miragem que no dia anterior havia parada para assistir o jogo, estava em profunda melancólica com a perda do grande titulo.

Os dias foram se passam e Gabriel e chegaria mais uma Copa do Mundo e junto dela novos sentimentos de patriotismo. Será que o Brasil seria Campeão novamente.? Essa pergunta foi respondida. Entretanto é uma nova história.

 

Escrito por Garoto às 13:05
[ ] [ ]

Decisões...de Biel

Fazer escolhas na vida é a pior coisa que se tem pra ser feita. E para nosso garoto aventureiro foi bem isso que ocorreu. As imagens da infância ainda permanecem na memória e junto delas a decisão em escrever a história. A história de sua vida. Gabriel pensava que depois de cem anos alguém em alguma parte do planeta queria saber como ele viveu, quais suas angústias e seus medos. E numa bela segunda feira, como essa sendo um dia "D" resolveu montar um livro de histórias. Um título bem sugestivo: Para ninguém me esquecer.

Título esse que usaria muitos anos mais tarde para reviver suas memórias. Para Biel o importante era contar as histórias boas sobre sua vida e foi assim que começou. Detalhou seu dia de nascimento. Lembrara que foi um dia antes de sua mãe Leonora. Mas seu pai Adir não era muito bom com dadas e regristou no dia segunte mesmo. Depois de detalhar local, dia e hora nosso protagonista resolveu contar de seus poucos amigos. Não tinha mais contato com Kevin até então seu grande amigo. Tinha saudades esse que havia ido morar em outro estado.

Gabriel já estava na terceira folha, tinha a aparência de um livro. Nosso garoto aventura tinha novos sonhos: queria ser historiador, ou melhor, preferia ser professor de História queria contar as muitas histórias reais de sua vida.  E até pensava em publicar sua auto-biografia. Pobre garoto imaginava muitas possibilidades, mas tinha medo do fututo que viria pela frente , e que elas nunca se concretizasse. O livro estava quase pronto este que teria apenas 10 páginas, havia tirado a inspiração da aula de oficina de português. No qual professora Etel havia pedido um registro de sua vida e pra ele a melhor forma de se registrar era escrever.

Biel conheci fotografias mas achava tudo isso muito falso. Para ele as pessoas se inventavam para tirar uma foto, faziam poses. Sendo que com isso nao mostravam exatamente como eram. Nosso protagonista terminou o livro de sua vida,apesar de sua pouca idade. Contando dos seu famílias mais ditantes. Avó João, Tia Lu,  Tia Julia, entre outros. Terminamos por aí mas as aventuras de Biel continuam em uma outra História.

Escrito por Garoto às 21:00
[ ] [ ]

Crises de existência

Acho que de certa forma somos excluídos da sociedade até que encontremos alguém perfeito que nos ame, e isso é muito raro. Para nosso protagonista as dificuldades começam a aparecer: crescer torna-se uma aventura. Os grandes amores de sua vida estavam fora, apenas muitas perguntas ficavam presentes.

O nosso aventureiro tinha medo do escuro e da morte, isso era certo. E com certeza também tinha medo de viver sozinho para sempre.  Era os últimos anos no colégio Miragem, as aulas de cinqüenta minutos davam lugar nesse dia a aulas de meia hora, em virtude de uma greve promovida pelo sindicado dos funcionários públicos do Estado.

O garoto, que nesse momento, já não tão garoto estava tomando novos rumos em sua vida. Decisões para uma formatura escolar, essa que ele pretendia não ir, como todos que iriam passar por sua vida. Quem sabe tinha um novo medo: de não ver nunca mais pessoas que fizeram parte cinco anos de sua vida. O Colégio de Miragem fora palco de muitas brigas e momentos de pura diversão. Gabriel lembrava com clareza das gincanas e eventos.

Mas agora era hora de trocar de colégio. O Colégio de Miragem não possuía Ensino Médio e nosso aventureiro queria seguir carreira acadêmica, mesmo não sabendo qual profissão queria seguir, sabia que era necessário. Um dia queria ser reconhecido pelo seu esforço e dedicação aos estudos.

Isso se torna uma nova história que será contada em breve

 

Escrito por Garoto às 13:14
[ ] [ ]




Meu perfil

BRASIL, Sul, Homem, Portuguese, Livros

Visitante número: